Responsabilidade social também é atitude de micro e pequeno empreendedor

Iniciativas de apoio à sociedade que partem de empresas são consideradas de responsabilidade social, e o pequeno empreendedor pode ajudar nisso

Segundo o dicionário, solidariedade está ligada ao ato de compartilhar ações que beneficiem o próximo. Este conceito está presente no ser humano desde a antiguidade, quando o homem começou a viver em grupos sociais. 

Enquanto a solidariedade fala sobre atos cívicos que partem de pessoas físicas, as ações empresariais estão sob o crivo da responsabilidade social. Isso nada mais é que a solidariedade como conhecemos, mas partindo das empresas, que entendem que precisam contribuir com o desenvolvimento da sociedade. 

A responsabilidade social é um tipo de cidadania corporativa que muitas empresas aderem, se comprometendo a criar práticas e melhorias em suas áreas de atuação.  

Durante a pandemia do novo coronavírus, por exemplo, o mundo viu um movimento de atitudes corporativas visando ajudar a população a enfrentar a maior crise sanitária do século. 

No Brasil, milhares de empresas se juntaram e desenvolveram ações para ajudar pequenos comércios e apoiar moradores de comunidades carentes. 

Esses períodos mostram o quanto a solidariedade é importante para a sociedade e como, com ela, muitas crises e dificuldades podem ser superadas. 

Além de trazer benefícios para quem é impactado, a responsabilidade social traz uma imagem positiva para as instituições que criam mecanismos de coletividade. Apesar de ter um significado muito grande, o pequeno empreendedor tem um papel fundamental nestas ações.

Exemplos de responsabilidade social 

Para você se inspirar, trouxemos 3 exemplos de práticas sustentáveis de grandes empresas, genuinamente brasileiras, que mostram que lidar com sustentabilidade é muito mais que pensar no meio ambiente ou em filantropia.  

Fundação Bradesco oferece Educação gratuita 

Entre outras iniciativas, um dos maiores bancos do país criou a Fundação Bradesco, dedicada a oferecer educação gratuita e de qualidade a milhares de pessoas no Brasil. 

Além de ter uma rede de escolas sem custo aos estudantes, a fundação oferece cursos online nas mais diversas áreas de estudos e afirma já ter beneficiado mais de 4 milhões de brasileiros com estas iniciativas, desde 1956, quando foi criada.  

Programa de Trainee do Magazine Luíza 

Recentemente, uma das maiores empresas de e-commerce do Brasil criou um programa de trainee com seleção exclusiva para profissionais negros. No início, muita gente não entendeu a posição do Magazine Luíza em fazer essa separação durante o processo seletivo. 

No entanto, segundo o presidente da Companhia, Frederico Trajano, o Magalu identificou que, apesar de ter os negros como a sua base de clientes, a presença deles na liderança da empresa era muito baixa, portanto, criou o mecanismo para promover a equidade racial. 

Natura tem um documento de metas sustentáveis 

Além de ter uma linha de produtos ecológicos, a Natura, principal empresa de cosméticos do Brasil, criou o documento “Visão de Sustentabilidade 2050”, que trata de objetivos sustentáveis que ela quer alcançar.  

O documento divide as ações da marca em três segmentos: produtos, visando diminuir o impacto ambiental de suas vendas no meio ambiente; rede, que trata da contribuição para o desenvolvimento humano e do empreendedorismo; e gestão, que fala sobre a participação do público na gestão organizacional da instituição.  

 É claro que esses são exemplos de grandes corporações, que conseguem esses feitos graças a sua estrutura. Mas há uma coisa em comum entre elas que é o fato de terem começado a pensar na responsabilidade social antes mesmo de conquistarem seu espaço no mercado.

O que o micro e empreendedor pode fazer? 

Quando falamos em pequenas e médias empresas, temos que lembrar que os recursos são limitados e que nem sempre há muitas pessoas para contribuir com as ações planejadas. 

Portanto, pequenas atitudes podem ser consideradas como responsabilidade social por trazerem benefícios para a sociedade, como a transparência e a forma como lida com os clientes.  

Falando de práticas mais concretas e impactantes, a melhor estratégia é avaliar qual tipo de atitude reflete a cultura do seu negócio. Caso a empresa tenha funcionários, tendo em vista que eles serão parte deste programa, é recomendado identificar quais causas eles mais se interessam. 

Se o seu projeto envolve pessoas, convide os impactados para dividir as experiências e falar sobre como a iniciativa os ajudou. Se envolve o meio ambiente, fotografe o resultado e traga relatos de pessoas beneficiadas. 

A divulgação de ações não pode ser considerada um problema, portanto, use as redes sociais para mostrar como o seu empreendimento se preocupa com a sociedade. Algumas marcas também criam páginas exclusivas em seus sites para falar sobre a causa.  

Além disso, apesar de ser um programa institucional, nada impede que pessoas de fora da empresa participem de ações. Como é para benefício social, outros interessados podem vestir essa camisa e ajudar neste projeto, portanto, convide. 

O fundamental na responsabilidade social não é o número de participantes ou impactados, e sim a iniciativa e a importância dela. Isso porque, quanto mais empresas praticarem essa consciência cidadã, mais ações serão tomadas, impactando a sociedade positivamente. 

Wesley Santana

Jornalista, redator de Tecnologia e pesquisador de Ciberativismo.